Categoria: Histórias inspiradoras

Empreendedores e a verdade

A trapaça é comum no mundo das start-ups: com tanto em jogo, os fundadores tendem a exagerar, ofuscar e esticar a verdade ao cortejar investidores e outras partes interessadas importantes. Tal engano bloqueia recursos ao prolongar a vida de empreendimentos condenados e torna difícil para investidores e funcionários saberem onde melhor investir seu dinheiro ou trabalho. Também cobra um tributo pessoal dos próprios fundadores.

Os autores fazem uma abordagem multidisciplinar do problema. Eles argumentam que as justificativas comuns para tal engano – a necessidade de proteger investidores e funcionários, e a crença de que todos os empreendedores se envolvem nisso – não resistem ao escrutínio. E eles oferecem vários conselhos aos fundadores, extraídos da filosofia moral: Sonhe grande, mas seja aberto e honesto sobre as evidências e suposições que sustentam sua visão. E cerque-se de pessoas virtuosas que o ajudarão a dar o melhor de si.

Como trabalhar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU em sala de aula

Veja como trabalhar os 17 ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas) na escola de maneira transversal e com apoio de tecnologia

Conte com a Seta Sistemas em 2021

O ano de 2020 foi um ano duro, atípico, e que merece muita reflexão, foi também, um ano que nos forçou a melhorar, como pessoas e como profissionais, que nos impulsionou pela busca da melhoria contínua, e que nos permitiu oferecer soluções melhores, seja em software ou serviços, por isso, SOMOS GRATOS!

Desejamos para 2021, paz, o fim da pandemia com muita saúde e prosperidade à todos, e saibam, iremos apoiar ainda mais nossos parceiros e clientes, através das nossas soluções e serviços. Deixamos nesta oportunidade o texto “Eu sou o tempo” para uma breve reflexão:

Eu sou o tempo

Você acha que eu passo rápido.
Que eu não volto.
Que eu não perdoo.
É verdade.
Mas agora eu estou aqui para a gente conversar com calma.
Você sempre pediu mais tempo e isso eu nunca pude dar.
Então, a humanidade criou este incrível mundo digital e você virou senhor de cada minuto.
Mas pelo que eu vejo, o ano já está acabando e todos continuam correndo contra o relógio.
Por isso, eu gostaria de te dar um conselho.
Pense menos em mim e mais em você.
É perdendo tempo que se ganha a vida.
Neste ano, quanto tempo você passou com a sua família?
Dando beijos?
Jogando conversa fora com os amigos?
O segredo do tempo não está nas horas que passam.
Está nos momentos que ficam.
Porque são eles que vão contar a sua história.
Eu sei disso.
Eu sou o tempo.

Para mães poderem fazer o ENEM, mulheres se voluntariam para cuidar de seus filhos

Inspirada em uma corrente lançada na rede social em 2016, a jornalista Fernanda Vicente fez uma postagem em seu perfil se oferecendo para cuidar dos filhos das mulheres da região onde mora. Para que elas pudessem realizar a prova do ENEM. A adesão e o interesse de outras mulheres foram imediatos. A partir disso, voluntárias de várias regiões do país surgiram querendo ajudar. Nascia, assim, o Mães no ENEM, ação voluntária, apartidária e sem fins lucrativos, que em menos de 24 horas, ganhou repercussão nacional.

O Projeto consiste em reunir mães interessadas em se voluntariar para cuidarem de filhos de outras mamães que precisam prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Com uma lista de voluntárias, dividida por estados e cidades, o Mães do ENEM, hoje, já conta com a assistência jurídica da advogada Ana Carolina Moreira Bavon. E desenvolve outras ações, como apoio psicológico para mães estudantes, aulas de redação e aulas particulares online. Também aulas de idiomas, empréstimo de livros, carona solidária, auxílio com trabalhos acadêmicos, orientação psicopedagógica. Ajuda com cópia, encadernação e papelaria, doação de laptops, divulgar o projeto nas suas redes sociais, entre outros.

Informações do Portal MEC

Menina de cinco anos esvazia seu cofrinho para comprar leite para seus colegas de sala

A pequena Sunshine Oelfke, de apenas cinco anos, mora em Michigan, nos EUA, e sempre adorou tomar leite em todas as suas refeições. Quando percebeu que uma de suas colegas de classe não podia comprar o alimento, esvaziou seu cofrinho, contou as moedas, colocou todo o valor que tinha em uma sacola plástica e guardou em sua mochila da escola. Jackie Sue, avó da pequena, ao observar a cena, não entendeu nada. Pois sabia que a neta estava juntando aquelas moedas para um dia comprar sua própria moto de neve. Ao perguntar para a pequena o que ela planejava fazer, ouviu a seguinte resposta: “Eu vou usá-lo para comprar o vale-leite para a minha amiga Layla. A mãe dela não tem dinheiro para comprar, mas eu tenho”.

Na escola onde as pequenas Sunshine e Layla estudam, há 20 alunos de cinco anos de idade e metade deles não pode comprar os cartões de vale-leite que custam US$ 0,45 na hora do lanche. Isso significa que fornecer leite para cada cada aluno custa aproximadamente US$ 180 por mês. Então, depois de comprar o vale-leite para a Layla, Sunshine levou todo o seu dinheiro do cofrinho para o seu professor. Que totalizou US $ 30. Jackie Sue e Sunshine criaram uma página para ajudar a arrecadar dinheiro para o resto do ano letivo. A notícia viralizou e a campanha superou sua meta, arrecadando  US $ 6.000!

Informações de Razões para Acreditar

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença: Creative Commons of Attribution - NonCommercial - ShareAlike.